sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

CIBERESPAÇO - CONTOS - SCI-FI







     Aqui estão esboços de character design de um projeto que acabou não seguindo em frente. Teodora -  a personagem principal - e alguns coadjuvantes. A ideia é que o concept art desse trabalho tomasse por base o design de H. R. Giger, como mostra  a figura postado aqui por último.

Um abração a todos e até a próxima!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

MÔNICANDO...










Em tempos de releituras da Turma da Mônica, fiz a minha... somente no lápis mesmo...



CARICATURA PATI e GUSTAVO



Caricatura do casal Patricia e Gustavo.
Técnica: Lápis, nanquim, photoshop e corel draw.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

PETELECO



Enfim... Após muita correria com os projetos do estúdio, agora podemos  divulgar nosso trabalho mais recente em parceria com a editora Caio.

Dessa vez emprestamos nossa criação visual para dar cara e corpo ao PETELECO e sua turma. O livro saiu em formato "livrão" totalmente ilustrado. A história é do casal de escritores já conhecidos pelos seus contos infanto juvenis - Fabiane Sassi e Gilmar Caio - com ilustrações Nossas. O concept art e character design foi desenvolvido por Fábio Dias que assumiu boa parte do projeto. Incluindo desenho e cores.

O livro foi lançado na feira do livro de Bento Gonçalves, RS, onde foi adotado pela escola Marista Aparecida. O mesmo já figurou pelo Cartucho (encontro de cartunistas gaúchos) em Santa Maria através de um dos ilustradores do livro - Douglas Dias.

A história narra o momento em que o até então alegre mascote da família, Peteleco, se sente abandonado pela família, e nesse momento de fragilidade emocional acaba se envolvendo com uma turma de cães de rua, que o levam para muitas aventuras até caírem nas mãos da temível... Carrocinha.

O livro pode ser encontrado nas livrarias de Bento Gonçalves
Ou pedidos através dos seguintes e-mails:


Confiram agora algumas ilustrações do novo garoto da família... Peteleco!


No cabeçalho da postagem a capa e abaixo algumas páginas.




Character design e sketchs por Fábio Dias.




Peteleco.


Barão.


Bebê


Mia.


 Zulu.


 Pati.


 Pedro.


Vini.


Antonia.


Fabiane Sassi lançando o livro Peteleco em Bento Gonçalves - RS.



 Douglas Dias lançando o livro Peteleco no Cartucho em Santa Maria - RS

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

AO MESTRE COM CARINHO - CANINI


“Canini morreu...” disse eu secamente ao me conectar em uma rede social que estampava a triste notícia, enquanto minha mãe ligeiramente soltou um “ai...” como uma alfinetada anestésica que enquanto espeta o corpo adormece a mente.

Conclui de ler a notícia em voz alta para nós dois (minha mãe e eu). Enquanto digito essa pequena homenagem com a garganta presa e os olhos cintilantes, me carrego da certeza de quem eu quero falar. É dessa pessoa que ao nos deixar, desperta alfinetada na alma e uma sensação de vazio, que faz gente como minha mãe, que mesmo vivendo no mundo das artes através dos seus dois filhos desenhistas conheceu Canini muito pouco se é que o conheceu, soltar involuntariamente um “ai”, após ouvir súbita uma má noticia dessas.

Conheci Canini pouco, realmente. É o tipo de pessoa que eu gostaria de ter conhecido bem cedo. Conheci-o em um evento de quadrinhos, organizado pelo amigo e cartunista André Macedo (ALMA) em parceria com o jornal Diário Popular. Depois o reencontrei mais uma ou duas vezes, em eventos de cartunistas ou sendo homenageado – cidadão pelotense! (o que muito me orgulha, diga-se de passagem). Tive a oportunidade de ter meu trabalho veiculado junto do trabalho dele, no jornal +Ou- Digraça, publicação editada pelo André Macedo e encartada no jornal Diário Popular. E mesmo tendo poucos momentos de conversas silenciosas com ele (pois era um tímido convicto, assim como eu e muitos outros desenhistas que sabem falar bem com os traços, não com as cordas vocais), sentia em seu semblante, seu brilho no olhar uma humildade que jamais encontrei em nenhum desenhista, artista quiçá um grande mestre até hoje. Sua esposa, Lourdes, também cartunista, é de igual humildade. Era um casal gigante em todas as emoções e sabedoria de ver e lhe dar com o mundo, e passavam com toda sua grandiosidade, quase despercebidos da multidão. Longe da soberba.

Canini ficou famoso por abrasileirar o Zé Carioca, dos estúdios Disney. Por tornar brasileiro de verdade o personagem que devia representar o Brasil. Pois bem, o fez com maestria. Desde a geração passada até a minha, tivemos na infância a marca de um papagaio malandro, realmente carioca, de traços finos e rápidos, como era o estilo icônico do Mestre Renato Canini. Sua criatividade não se limitou a “remodelar” o já criado. Canini criou vários personagens incríveis, tais quais: Dr. Fraud, Kactus Kid e Tibica. Tinha em suas criações uma genialidade, simplicidade e finesse dignas dos gênios das artes. Um traço único, só pra fechar a marca de Gênio com letra maiúscula.

Mesmo com pouco contato, eu tinha o maior carinho pelo Canini (e Lourdes, é claro) é o tipo de pessoa que você queria ter perto, como amigo, avô, tio, pai, filho, colega de trabalho ou de bar. Realmente, o tipo de pessoa que tem a percepção de ver o mundo com olhos de criança, com inocência, doçura e passava esse seu miúdo vasto mundinho para os outros. Embora certamente houvesse furacões e tempestades na mente criativa de Canini, externamente nada mais além do que cabia ao próximo – gentileza e sensibilidade.
Canini, aquela pessoa de olhos grandes e brilhantes, boca emudecida, semblante ingênuo, jeito simples, bagagem fenomenal e criações fantásticas, nos deixou... Deixou seu legado e sua falta como todo grande artista sempre faz.

Canini... Obrigado por ter me tratado com tamanha humildade e permitido que eu vislumbrasse um mundo onde gênios tornam-se gigantes imortais num simples aperto de mão.

Ao Canini, desejos de paz e um grande e reconfortante abraço na Lourdes que os traços não te deixem.
 - Um abraço meu, do Fábio e da Evanir.

* Impossível lembrar-se do mestre Canini sem recordar outro mestre de sua arte, também gaúcho... A arte de um lembra a vida de outro... E vice e versa:

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!


   - Mário Quintana - 

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

DEMÔNIO 27


As mentes mais calmas, os rótulos mais cristalinos e os demônios mais revoltos e sujos debatendo-se para florescer em um lugar maior para contágio e disseminação.
Assim são os dias de tédio e noite de agitos, a areia branca e o mar tempestuoso, as pétalas trazidas pelo vento aqui e as casas jogadas pelo furacão aco-lá, o coração que bombeia as pressas a mensagem que o corpo paralítico aprisiona, as ideias da mente que a timidez prende na boca costurada pela apatia.

Caneta esferográfica, textura, edição PS.

Até a próxima
Douglas Dias

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

CRIATIVIDADE VS COMPROMISSOS VS ERROS VS EXPERIÊNCIA

 (Escrevo este diário de bordo interestelar durante a correria, depois posto ele na íntegra).
“FOI TUDO PLANEJADO... TEVE TUDO PRA DAR ERRADO... MAS DEU CERTO.”
 (Frase trocado entre Fábio e eu nesses últimos dias de compromissos)

Há certo prazer na pressão dos últimos segundos de um compromisso, admito. Também há 1% de margem de erro nos compromisso, que jamais se conta que aconteçam. Há um enorme prazer em estar batendo papo com gente criativa, assim como trabalhando nesse meio. E, há certo passo da vida, há uma bagagem que nos serve sempre (ou quase) de para quedas naturais para imprevistos.
Acho que é assim que posso descrever nossas últimas semanas de trabalho, minhas e do Fábio.
Com tantos compromissos e já uma estafa de outros trabalhos de médio e longo prazo que vínhamos fazendo, implicando em noites sem dormir, debates e discussões criativas (imagine o Fábio me jogando uma bigorna de cartum sobre a cabeça enquanto eu ofereço a ele um charuto explosivo ACME), prazo, clientes e trabalhos diversos sendo administrados, um tanto de pressão,  mais autopressão por qualidade nos trabalhos e pouca vida social.
Nessa “lomba” nosso carrinho de rolimã já vinha descendo há algum tempo. Algumas pessoas do nosso ciclo de amizades questionavam:

 “- Como vocês podem não dormir?”, “– Vocês são malucos?”, “ – Vocês estão adoecendo sem se dar conta, ou isso acontecerá em breve”, “ – Cuidado com esse ritmo, usem o pedal de freio”.

1 - Pois bem,  conseguimos entregar um livro infantil de 32 páginas + capa em cima do prazo já recombinado para a 28º feira do livro de Bento Gonçalves – RS, sem dormir e com o olho esquerdo quase caindo com uma inflamação séria que não podia “brotar” em melhor momento  (sim, não ouvimos os conselhos acima...)– mas o resultado final ficou bonito.

2
– Atrasamos para nossa oficina de character design e concept art para os alunos da UCS (pensem em Gremilins acordados após a meia noite, afim de devorar dois oficineiros), em Bento Gonçalves – porém ainda deu tempo de chegarmos e chicotearmos eles com exercícios de criação coletiva e singular, foi divertido.

3 – Consegui a melhor façanha de todas, errar a data de nossa oficina de Sketch e desbloqueio criativo. Óbvio que isso gerou atraso e mais expectativa (será que eles darão cano?), entretanto chegamos chegando, metendo o pé na porta e colocamos o pessoal a garatujar com e sem música, com e sem auxílio, com e sem pressão. – Todos nos saímos bem e a troca de ideias fluiu com uma ideia linear, uma experiência nova tem de ser... Natural e sincera.
Bem, de tudo isso, dessa correria maluca e maratonas de trabalho que fizemos, deu pra entender e tirar algumas lições.

1 – Meu maior defeito é me permitir errar. Detesto quando eu erro, e isso aconteceu 3 vezes em sequência. Tenho de administrar melhor esse sentimento e estou aprende a admitir erros e me desculpar com as pessoas que estão envolvidas nesse processo (sejam parceiros de trabalho, contratantes, clientes ou leitores/admiradores do nosso trabalho).
2 – Baseado na constatação acima, erros em sequência denotam um cansaço que tem de ser escutado com atenção.
3 – Jamais deixaremos, sob quaisquer circunstâncias, um cliente, contratante nosso na mão com nossos serviços.
4 – A correria e pressão são, sim, excitantes para a criatividade.
5 – Infelizmente dormir faz parte do processo de estar bem par entregar trabalhos (detesto dormir, sempre tenho a sensação de que, fora os fatores biológicos necessários, eu estou perdendo muito tempo de criação e conhecimento próprio – tenho de frear esse pensamento, sensação).
6 – Saúde é uma só.
7 – Com alguns anos de experiência com trabalhos de criação e dando aulas de desenho aqui e acolá, essas zonas de perigo que surgem de surpresa assustam, mas não chegam a quebrar nosso trabalho. Ficou claro que essa experiência com clientes, trabalhos diversificados, prazos limitados e a busca por um bom resultado e sempre cumprindo o combinado nos deu esse “para quedas” de emergência. O que é muito bom, diga-se de passagem.








Parafraseando o Capitão Nascimento: Missão dada é missão cumprida, parceiro.

Hoje temos mais uma oficina à tarde, sobre mangá e sua narrativa, junto da oficina dos escritores Gilmar Caio e Fabiane Sassi Caio sobre gêneros literários, escrita e narrativa. Esperamos que tudo ocorra bem e se preciso for contaremos novamente com nossa bagagem para quedas, depois reporto no nosso diário de bordo interestelar... Câmbio, desligando.
(14/09/2013 – Bento Gonçalves – RS)











Bem pessoal, voltando para concluir a nossa epopeia de compartilhamento de conhecimentos, na qual estávamos com uma agenda um pouquinho lotada de Jobs e oficinas para ministrar nesse período de feira do livro em Bento Gonçalves.
Para a “nooossa alegriaaaaaa” (ok, trocadilha infame e desnecessário), conseguimos realizar as últimas duas oficinas sobre mangá, sua estética e narrativa – seguida das oficinas sobre contos literários ministrados pelo casal Gilmar Caio e Fabiane Sassi Caio -  sem problemas e com uma boa participação do público.
Acho que é isso, a feira do livro acabou nossa pequena maratona também, retornamos a focar nos projetos já existentes e nos novos que surgiram nesse período, e que rufem os tambores para uma próxima agenda de oficinas.
P.S.: Já está confirmada presença no 10º Cartucho – Encontro de Cartunistas Gaúchos (27/28/29/09/2013) – em Santa Maria... e lá vamos nós!...

Abraços a todos!
Douglas Dias

Alguns P.Ss.:
1 - O Cartucho em Santa Maria já passou... e foi D+! - depois faço um post apenas sobre esse assunto.
2 - Como perceberam acabei quebrando a maratona exorcismo em termos de prazo e pra não deixar o blog parado já que tinhas outras postagens de compromissos na agulha, atropelei as postagens da maratona. Mas volto a publicar os últimos apenas para concluir os 30 e contar como foi essa experiência.